A natureza sempre foi                             parte integrante da infância.                   Ao longo de milénios as                     crianças aprenderam sobre a vida e o seu meio observando e experimentando com os elementos naturais que as rodeavam. Contudo, hoje em dia, elas não possuem muito tempo nas suas agendas para brincar ao ar livre, e tantas vezes é-lhes impossível fazê-lo devido ao seu contexto geográfico e cultural. Acabam por ficar limitadas a locais “seguros”, fechados. Neste projeto, criado especificamente para alunos de contextos urbanos, queremos que eles “vejam a natureza de perto”.

As escolas da Área Metropolitana do Porto foram as escolhidas por representarem na zona Norte o paradigma sócio-cultural urbano e sub-urbano, que contudo se encontra a uma curta distância do Parque Nacional para um dia de visita de estudo. Neste dia na montanha, cada aluno-explorador irá frequentar gratuitamente dois ateliers ao ar livre, numa aprendizagem lúdica e participativa, sempre concordante com os objetivos dos currículos escolares do 1º ciclo, aos quais se acrescentam e fundamentam conteúdos científicos pertinentes.

No primeiro contacto com o projeto todos os alunos receberão o Passaporte da Natureza que será carimbado aquando da participação nos ateliers. Para além de receber um kit base do projeto, com cada atelier o aluno recebe gratuitamente um kit pedagógico de experiências. E ao frequentar quatro ateliers de uma determinada temática ele receberá um kit avançado. Com estes, deseja-se que o pequeno explorador se torne num motor de mudança social visando a conservação da biodiversidade em geral e das espécies e habitats ameaçados em particular.

Os ateliers decorrerão gratuitamente nas cinco Portas do Parque Nacional da Peneda-Gerês - Melgaço, Arcos de Valdevez, Ponte da Barca, Terras de Bouro e Montalegre. As Portas são espaços multifacetados que procuram tornar o Parque Nacional num “laboratório natural” complementar aos programas curriculares.

Dispomos de cinco ateliers em áreas temáticas fundamentais para a sustentabilidade e, dentro de cada atelier, existem ainda cinco variantes correspondendo diretamente às especificidades dos cinco concelhos do Parque Nacional. Propomos também que cada dia de visita de estudo incorpore duas temáticas. Assim, por grupos, os alunos frequentam à vez dois ateliers. Ao frequentar cada atelier, o aluno recebe um kit pedagógico que servirá como instrumento de experiências “científicas” durante aquele dia, mas que poderá levar para casa para fazer novas experiências.

Propomos trabalhar com os alunos do 1º ciclo numa perspectiva multidisciplinar através de atividades orientadas por profissionais de cada área, visando a sensibilização precoce da complexidade que é a relação global Homem-Biodiversidade, contextualizada no magnífico cenário do único Parque Nacional português. 

A fauna do Parque Nacional é muito diversa, com mamíferos, aves, répteis, anfíbios, peixes e invertebrados. Se alguns destes animais podem ser facilmente observados, para outros, é preciso ser um verdadeiro detetive para saber onde se escondem ou para observar os indícios da sua presença (pegadas, marcações e dejetos).

O Parque Nacional possui mais de 800 espécies de plantas. Com tantas espécies não é fácil saber qual é qual - será um carvalho-alvarinho ou um carvalho-negral? Mas com a observação das folhas e flores e a ajuda de um herbário vamos todos conseguir identificar as espécies emblemáticas do Parque Nacional. 

A geologia do Parque Nacional encerra inúmeras curiosidades. A rocha mais abundante é o granito, com diferentes tipos que aprenderás a distinguir e várias formas criadas pela erosão e pela água. O Parque Nacional é também muito rico em água, tanto à superfície - nos rios e riachos - como no subsolo - que observas através de fontes e nascentes. 

A arqueologia é a ciência que estuda as culturas e as comunidades antigas através da análise e interpretação dos vestígios materiais que elas deixaram. Vem descobrir como compreender os segredos do passado e da humanidade e aprender o modo como as populações ocupavam o território do Parque Nacional da Peneda-Gerês. 

A antropologia da natureza estuda o modo como as pessoas agem e como imaginam o espaço que as envolve. Pelas aldeias do Parque Nacional contam-se misteriosas lendas sobre animais, plantas, espaços naturais... e há também tradições seculares que vamos desvendar para percebermos o mundo em que as comunidades da montanha viviam e vivem. 

KIT BASE

Mochila, caneta, lápis, caderno e chapéu de explorador

No atelier de fauna pretende-se despertar nas crianças a paixão pela Natureza, o espírito aventureiro e promover a sensibilização para a biodiversidade e sua valorização, através do conhecimento, do contacto direto com a fauna local e/ou dos seus vestígios, de uma forma lúdica, informativa, enriquecedora e divertida. Pretende-se que as crianças explorem, investiguem e procurem identificar, utilizando todos os sentidos, animais de alguns grupos faunísticos, como os invertebrados, as aves, os anfíbios, os répteis e os mamíferos.

Está prevista a identificação visual dos animais, a identificação dos sons/cantos de algumas espécies, a identificação dos seus vestígios (através da deteção e “recolha” de pegadas) e a identificação direta com a captura e manuseamento de espécies de invertebrados e anfíbios, presentes em meio aquático. As atividades decorrerão, sempre que possível, ao ar livre, tentando proporcionando diferentes experiências e o contacto com diferentes grupos de animais.

KIT OFERTA

Binóculos, balde de 1L, camaroeiro e pasta para modelar

No atelier de flora pretende-se dar a conhecer e sensibilizar para o valor da biodiversidade e da necessidade da sua preservação, gerando desafios que permitam fortalecer a curiosidade e gosto das crianças pela Natureza, numa ação que se espera inovadora e enriquecedora para alunos, professores e escolas intervenientes.

Prevê-se a identificação de alguns exemplares das espécies vegetais que crescem no local, compreendendo as caraterísticas que as individualizam, que as tornam aptas aos locais onde habitam e que as tornaram úteis aos humanos que com elas partilham os mesmos espaços. Os temas expostos serão abordados pensando nos conteúdos programáticos lecionados em contexto escolar e permitindo a possibilidade de novas formas de abordagem a temas pertinentes às faixas etárias dos participantes.

KIT OFERTA

Pasta para modelar, régua com lupa e lápis de cor

O atelier de geologia e água visa sensibilizar e integrar as crianças com o meio físico natural, por via das componentes indissociáveis geologia e água, numa perspetiva de partilha lúdica de conhecimento. Pretende-se fomentar o espírito curioso, aventureiro e crítico, fazendo do espaço exterior um laboratório natural, onde haverá lugar à observação e identificação de diferentes tipos de rochas (e suas morfologias características), minerais, formas do relevo, cursos de água e outros eventuais elementos ligados com a hidrologia.

KIT OFERTA

Bússola graduada com lupa e mapa geológico

Neste atelier os alunos utilizam os métodos, técnicas e instrumentos associados ao trabalho de investigação realizado no âmbito da arqueologia. Numa área de escavação improvisada numa caixa de areia vão poder compreender como se processa uma escavação arqueológica: utilização dos vários instrumentos de escavação para fazer a decapagem das camadas estratigráficas e fazer a identificação, recolha e tratamento dos achados arqueológicos, com o objetivo de sensibilizar e informar sobre a importância da preservação do património, material e imaterial, na construção da identidade cultural da sociedade.

KIT OFERTA

Colherim, apanhador, pincel e bússola

Neste atelier vamos fazer vários jogos de destreza e estratégia inspirados na vida das aldeias de montanha. Serão também contadas histórias e lendas do património imaterial local, bem como realizadas atividades com técnicas tradicionais como o uso do fojo do lobo, dos espigueiros ou dos moinhos. O objetivo é descobrir as nossas raízes e criar novos olhares sobre a vida rural. 

KIT OFERTA

Jogo de cartas original, caderno para atividades nas aldeias e mini-lápis

  • Porta de Lindoso

    Lugar do Castelo, Lindoso
    4980-451 Ponte da Barca
    258 578 141
    GPS 41.865906, -8.199029

  • Porta de Lamas de Mouro

    Porto Ribeiro, Lamas de Mouro
    4960-170 Melgaço
    251 465 010
    GPS 42.039602, -8.196151

  • Porta do Mezio

    Mezio
    4970-092 Arcos de Valdevez
    258 510 100
    GPS 41.885274, -8.313329

  • Porta de Campo do Gerês

    Campo do Gerês
    4840-030 Terras de Bouro
    253 351 888
    GPS 41.750277, -8.197073

  • Centro interpretativo do
    Planalto da Mourela

    Estrada M513-1, Pitões das Júnias
    5470-370 Montalegre
    258 452 450 (Adere-PG)
    GPS 41.840325, -7.932975